Qual nome dar ao seu amiguinho?

mel tino yuppie

Quando o nosso peludinho chega, a primeira coisa que nos perguntamos é quanto ao nome que vamos dar. Pode parecer coisa simples, mas o nome significa muito para o animalzinho. Em média, ele ouvirá seu nome 200 mil vezes (mas se a dona for tipo eu, acho que pelo menos 400 mil vezes, rs).

O nome, na verdade, servirá como um comando de atenção e intensificará o elo entre você e seu melhor amigo. Então, que tal pensar direitinho a respeito e procurar um nome bem legal tanto pra você quanto para seu mascote? Então separamos algumas dicas pra você:

1- Dê preferência a nomes curtos. Nomes curtos e de fácil pronúncia ajudam o animal a memorizar e reconhecer o chamado, além de facilitar na hora de chamar. Nomes complicados e compridos cansariam até mesmo o seu peludinho. Gritar por uma ‘Anastáááááácia’ ou um ‘Ermenegiiiiiiiiiiildo’ dificultariam a compreensão e, na hora de uma bronca, até o cão reconhecer seu nome, já teria aprontado.

2- Evite nomes que rimem com outros nomes da casa ou comandos simples. O nome serve para deixar o cão alerta, então você não quer banalizar e fazer com que ele deixe de se atentar quando o chamarem. Assim, se tem uma Camila em casa, ficaria complicado ter uma peludinha Mila, ou se tem um João, melhor não ter um Tufão…

3- Considere a personalidade dele e a sua. Se você é amante de música, tem uma banda preferida, um artista cujo nome possa ser usado para batizar seu cão, vá em frente. Seus parentes e familiares acharão natural e terá sua identidade, além de já ser algo de que você gosta. Mas considere também as características da raça. Já pensou cruzar por aí com um ‘Fera’ e de repente aparece um Yorkshire que cabe no bolso? Ou um ‘Trovão’ e aparecer um São Bernardo cheio de doçura e amor pra dar?

jolie cer lilli

4- Não escolha um nome que ridicularize o cão. Pode parecer brincadeira, mas escolher um nome gozado, que diminua seu amiguinho, não é adequado. Ninguém aqui tá dizendo que o seu peludo vai entender a brincadeira e achar que sofre bullying, rs. Mas a reação das pessoas pode constrangê-lo e deixá-lo triste. Imagina um cãozinho sendo chamado de ‘Balofo’ ou ‘Tiririca’, seria pedir para que estranhos sempre rissem quando ouvissem, e essa seria uma reação percebida pelo seu amiguinho e o deixaria triste.

5- Associe a algo que você goste e lhe dê prazer. Ahh, maior exemplo disso tenho minha Yuppie. Nossa, me dá uma sensação de felicidade ao chamá-la! Ainda temos a Dina (Nina) que é uma personagem de ballet, atividade que a mamãe dela ama e ainda pratica. A relação que você terá com seu amiguinho, esperamos, será muito longa e de extremo carinho. Chamá-lo com vontade e felicidade tornará seu animalzinho mais alegre e trará bem estar à vocês.

6- Evite nomes humanos. Por fim, nossa última dica… Animal é animal, gente. Claro que eles não saberão se o nome é de gente ou não. Mas vocês saberão e ficará ainda mais fácil humanizá-los. Está na essência deles correr, se sujar e se divertir como cachorros que são. Então, deixe de lado ‘Emily’, ‘Maria’, ‘Sofia’, ‘Carla’ e afins… Gente é gente e cachorro é cachorro, combinado?

7- Apelidos são permitidos e eles atenderão! Sim, eles atenderão quando chamados com frequência por apelidos. Inclusive saberão diferenciar quando o nome é chamado para bronca ou para ganhar um petisco, simplesmente pelo seu tom de voz. Aqui na turminha do Shih Tzu Café temos exemplos de apelidos que usam o próprio nome do cãozinho. Cerberus virou Cer ou Cebus, Lillith é a nossa Lilli e Melissa é Mel até para os mais distantes. Aqui em casa eu segui o contrafluxo e, por uma brincadeira do meu sobrinho, Chloé também atende por Clotilde, rs!

chloe my dina

Agora nos contem, como você escolheu o nome do seu amiguinho? Ele tem algum apelido ?

Gostou do nosso post? Compartilha com um amigo que ainda está decidindo o nome do filhotinho dele!

Anúncios