A importância da hidratação 

Dina hidra

Passeios pela cidade, correria pela casa, lambeção, cafunés, chuca, coleira, sol, vento, poeira… Tudo isso agride os pelos dos nossos amiguinhos, por isso é importante estar sempre fazendo hidratações.

Como já mencionei anteriormente, sempre que a Dina Nina vai pro banho peço pra hidratarem a pelagem dela. Acho que faz toda a diferença, os pelos ficam macios, sedosos e muito bonitos. Mas você sabia que é aconselhável variar o tipo de hidratação de tempos em tempos? Isso acontece porque o pelo, assim como o cabelo humano, pode ficar saturado de determinada substância e, desse modo, temos a impressão de que a hidratação não está mais fazendo efeito.

dina peluda hidra

Com a Dina costumo alternar entre hidratação de argan e hidratação de chocolate. Ambas deixam os pelos maravilhosos, mas percebo que a de argan dura mais. Por seu um produto mais concentrado, o tosador recomenda intervalos de pelo menos 15 dias entre duas hidratações de argan para não deixar o pelo pesado e quebradiço. Nos intervalos, opto pela de chocolate, que tem um cheiro delicioso e deixa a pelagem macia e lisinha.

O óleo de argan é uma substância pouco gordurosa rica em ácidos graxos essenciais e vitamina E. Fecha as cutículas do pelo e repele a água, evitando o frizz no seu animalzinho, além de deixar o processo de secagem mais rápido. Já o chocolate hidrata profundamente os fios, deixando-os macios e maleáveis. Há vários outros tipos de produtos, alguns a base de queratina, outros de vinho, outros de chocolate branco… Mas esses a Dina Nina ainda não usou.

É importante, também, escovar diariamente os pelos, para desmanchar os pequenos nós que se formam e evitar que nossos amiguinhos sofram com um nó gigantesco no futuro. Confesso que não sou exemplar nesse cuidado, refaço as chucas duas vezes ao dia (de manhã e à noite), mas nem sempre penteio o corpinho. #ShameOnMe

dina costas hidra

E na casa de vocês? Como são os cuidados com os peludos? Compartilhem sua experiência conosco, vamos adorar!

Deixar subir ou não na cama?

cama 1

Hoje o assunto divide muitas opiniões. Aqui eles tem quatro caminhas espalhadas pelo quarto, porém minha preferência é que sempre durmam comigo. Ao contrário do que muita gente pensa, o shih tzu eles não solta tanto pelo, o que pra mim seria o maior problema.

Quando tinha só o Mylow, meu sonho era que ele ficasse horas comigo na cama! Mas ele nunca queria ficar, era eu colocar e em 15 min no máximo ele pedia pra descer. Via várias pessoas reclamando do contrário e não conseguia entender. Quando peguei a Jolie nunca ensinei ou induzi, ela por si só sempre gostou de ficar na cama, e eu como sempre deixei, ela cada vez mais foi ficando. Hoje ela dorme comigo todos os dias.

Hoje vamos falar algumas vantagens e desvantagens de deixar seu peludo subir ou dormir na cama.

Vamos começar com as vantagens, porque vantagem é sempre muito mais legal!

Cães são fofos, quentinhos e aconchegantes, e aqui a Jolie esquenta meu pé todos os dias para dormir! É muito gostoso ficar com um cachorro na cama, é chamego o tempo todo, tem muita troca de carinho antes de dormir e na hora de acordar.  E com certeza o dia começa muito melhor!

Normalmente, os cães gostam de ficar na cama. Há aqueles que preferem ficar um pouco e logo descer, que é o caso do Mylow, e tem aqueles que sobem e vão até o outro dia com você, como minha pequena Jolie.

Eles tem a vida tão curta, que não consigo e nem nunca passou pela minha cabeça proibir o acesso deles.

Outra questão que não posso deixar de comentar é com isso diminuí minha ansiedade, quando chega a hora de dormir e estou preocupada ou nervosa com qualquer coisa, é IMPOSSÍVEL pensar nisso quando se está ganhando milhões de lambidas por minuto, você esquece seus problemas e só curte aquele momento. Isso me deixa muito relaxada, o que faz com que o meu sono fique muito mais tranquilo.

Agora vamos falar sobre algumas desvantagens:

Se seu peludo é muito agitado durante a noite, ou ronca alto, ou fica subindo e descendo durante a noite toda, isso realmente irá atrapalhar, fazendo com que você acorde muito cansado (a). Ou também pode ser você que se mexe muito e com isso pode sem querer provocar um acidente, como jogar seu cãozinho pra fora da cama.

Porém acho que a grande cisma da maioria que não deixa os peludos subirem é a questão da higiene. Por mais limpo que seu cãozinho seja, ele sempre será um cachorro, e sua patinhas vão ao chão, à rua, à grama, e, por mais que você limpe, elas nunca estão 100% limpas. Fora que ele deita em vários lugares se esfrega em vários lugares. Enfim, se você for um maníaco por limpeza, realmente não vai ser uma boa ideia. Aqui Mylow vai à rua todos os dias, então toda vez que volto passo um paninho com água ou lencinho umedecido próprio pra cachorro ou um bem suave de bebê.

E aí?! Você deixa ou não os peludos ficarem na cama?

Os cães sentem calor?

dina tosada x peluda

Tenho visto uma enxurrada de gente nas redes sociais com a grande dúvida: tosar ou não tosar com todo esse calorão? Se você estiver convencido de que cachorros têm sentimentos e inteligência (aqui as minhas peludinhas me amam, ahhhh, me amam sim!), é evidente que vai concordar que eles também sentem FRIO e CALOR, embora em níveis um pouco diferentes dos nossos.

Eu sempre ouvi que “cães suam pela língua” e que o pelão não influencia em nadinha o calor que eles sentem – inclusive eu já tinha pesquisado isso antes por morar numa região em que, seja janeiro ou julho, o calor domina. Por aqui o normal é os termômetros marcarem 28° num dia nublado!

Mas, então, o que dizem os especialistas e entendedores do assunto? Existe ou não a tal da proteção térmica que a pelagem proporcionaria?

Acompanhei um tosador recentemente numa discussão ferrenha pelas redes sociais levantando a bandeira dos pelões. Mas vi estudante de veterinária e a própria veterinária que cuida das minhas peludinhas defender que pelões podem sim ser prejudiciais no verão e ocasionar ainda mais cansaço e fadiga (daí desencadeia todo um processo de falta de apetite, sonolência, mudança de temperatura e também de pressão arterial, disfunção cardiorrespiratória, desidratação, desmaios, vômitos, etc). E então, quem tem razão?

A idéia de que os cães suam pela língua é mito! O cão tem células sudoríparas na parte de suas almofadinhas – que interessante esse mundo animal! Imagina se suassem pela pele, como nós humanos? Os pelos ficariam oleosos com uma frequência sem igual e assim precisariam de tanto banho como nós! -. Então a transpiração se dá apenas pelas patas. E a língua – sim, ela tem uma participação – atua resfriando o corpo, fazendo a troca do ar quente (interno) pelo ar frio (externo) – daí percebermos os cães sempre de boca aberta no famoso “aff aff” habitual.

Para piorar a nossa situação – ou a dos nossos amiguinhos – os shih tzus têm maior dificuldade em manter o ar frio inspirado devido ao seu focinho curto, tornando a época de calor bem complicada.  E então deixo uma dica: nos dias quentes, os passeios devem ser durante os horários mais frescos – nada de sair tamanho meio-dia! Imaginem que, com o chão quente, podem ocorrer queimaduras nas almofadinhas e diminuir ainda mais a área de transpiração do seu amiguinho. E, numa rápida aula de biologia, o sistema de sudorese auxilia na manutenção da temperatura do organismo, diminuindo-a (resfriando) – ninguém aqui vai querer seu animalzinho pegando fogo, né?

Então fato é que a pele dos nossos peludinhos não possui glândulas sudoríparas, mas a sensação térmica é por eles sentida e sofrida assim como é para os humanos. Aliás, pior, haja vista eles suarem por área infinitamente menor que nós.

Lembra do tal isolante térmico que falei no início do post? É verdade, a pelagem atua como isolante térmico sim, mas em dias quentes a pelagem não tem nenhum sistema de resfriamento divino que combata o calor. Portanto, só piora a sensação dos nossos amiguinhos, que retêm ainda mais o calor no seu organismo, enfrentando dificuldade maior para conseguir se resfriar. E o shih tzu ainda está triplamente nos grupos de riscos: tem focinho curto, em geral apresentam pele seca e tem pelagem compridona.

Outra função da pelagem é proteger do sol. Dai aparando-os não estaríamos expondo nossos peludinhos? Não, definitivamente, não. Ninguém aqui vai passar máquinha zero (a menos que seja necessário) no seu amiguinho, expondo de uma vez a pele do animalzinho. Aliás, com pelo comprido ou não, importante manter o protetor solar em dia! O intuito é aparar os pelos de modo que circule mais vento e os deixem mais a vontade no calorão que anda fazendo.

Nessas horas, o melhor a fazer é prezar pelo bem estar e saúde do animal. Eu, que sempre defendi a pelagem comprida, estou me rendendo e vendo que pode sim ser mais uma barreira para eles enfrentarem durante os dias quentes.

Então, tendo eles a percepção do calor, nos resta saber se a pelagem vai mesmo interferir nisso ou não. As nossas sensações de frio ou calor têm um componente objetivo, ligado à temperatura do ambiente, e outro subjetivo, relacionado à pessoa em si e seus padrões de percepção. Com os peludinhos, acontece da mesma forma, cada organismo reage de forma diferente, sendo que alguns se sentem mais incomodados com os pelos compridos, sim!

Resultado? Tô indo ali marcar a tosa das minhas duas mocinhas. E vocês? Desapeguem, pelo cresce rapidinho e eu tô preferindo ter duas serelepes em casa do que duas mocinhas de vitrine!

E aí, quem aderiu ou aderirá ao pelo curtinho? Não se esqueçam de nos mandar fotos pela nossa fanpage, e contem suas experiências pra gente! E se quiser acompanhar o dia a dia da turminha, sigam nosso Instagram.