Como cuidar do meu cãozinho em apartamento?

topo

Muitas pessoas ainda ficam na dúvida sobre ter ou não um cãozinho por morar em apartamento, principalmente o de menor metragem. É claro que uma casa ou um ambiente mais espaçoso é confortável para humanos e animais de estimação, mas o fato de morar em apartamento ou ambientes menores não é um impedimento para ter um pet. Só é preciso ter bom senso e escolher os cães de porte compatível e que tenham um perfil mais calmo e coerente com seu espaço e seu condomínio rs.

Algumas raças são ideais para esses espaços e se adaptam super bem. A raça Shih tzu é uma delas, assim como: Bulldog Francês,  Spitz Alemão, Maltes, Poodle, Yorkshire, Lhasa Apso, Fox Terrier, Schnauzer, Pinscher, Dachshund e Pug. Mas vale ressaltar que cada cão tem um temperamento, mesmo que algumas raças sejam mais calmas que outras, por isso é muito importante pesquisar bem antes de escolher. Os cães da raça Shih Tzu, em sua maioria, são tranquilos e quase não latem, são mais preguiçosos que um gato e dormem o dia todo se deixar rsrs, não possuem muita necessidade de exercícios físicos, mas precisam de atividades ao ar livre, e vivem bem em ambientes pequenos.

Veja algumas dicas de como cuidar do seu pet em ambientes pequenos. É imprescindível prezar pelo bem-estar físico e psicológico do seu cãozinho:

  • Espaço interno: pense no espaço mais adequado a ele. Não se limite a área de serviço, exceto em fase inicial de confinamento e/ou aprendizado das necessidades. Muitas pessoas acabam por deixar o cãozinho sempre na área de serviço e isso não é legal. O ideal é estipular o máximo de circulação possível para o seu pet, levando em consideração a segurança dele também. Mantenha esse espaço seguro e sem muitos fios ou objetos que possam causar algum acidente. Aqui em nosso apartamento a pequena Melissa fica com quase todo espaço livre para ela, pois, como passamos o dia fora, optamos por deixá-la mais a vontade.
  • Varanda ou sacada: quem mora em apartamento e possui esse espaço extra é muito bom, mas é preciso torná-lo seguro. Aqui em casa providenciamos as telas protetoras, assim a Mel fica a vontade em mais um espaço. Aproveitei que minha sacada tem um espaço legal e inclui o banheiro dela nesse ambiente, é mais fácil de limpar!

base

  • Passeios regulares: o passeio é um item que faz bem para ambas as partes rsrs. Sair regularmente com seu cãozinho faz bem para o corpo e pra mente, todo mundo fica feliz. O passeio é uma das opções para o seu cãozinho gastar energia e passar o tédio. Para quem mora em apartamento, o passeio no Play ou no estacionamento também vale, principalmente nos dias chuvosos ou quando a cadelinha está no cio.
  • Brinquedos: os brinquedinhos fazem toda a diferença: ter brinquedos educativos e de entretenimento são excelentes para passar o tempo e garantir a diversão do seu cão. O enriquecimento ambiental também é uma ótima dica para o seu Pet.

20150311_222501

  • Limpeza: muitas pessoas questionam se o cão deixa um cheiro desagradável no apartamento. Todo cachorro tem cheiro, uns mais fortes que outros. Mas atualmente existem mil maneiras de você deixar a sua casa perfumada e sem nenhum cheiro desagradável por conta do animal (muitas vezes, nem é culpa dele, tadinho rs). Mantenha a casa limpa regularmente, higienize o cãozinho com banho seco ou lencinho quando já tiver uns 5 dias do  último banho, higienize o sanitário do seu pet, e como produto de limpeza use o Herbalvet.

 

Se tiver mais dúvidas, mande pra gente! Iremos adorar ajudar!

Conheça nossa Fanpage!

 

Anúncios

Vamos lavar os brinquedos?

yuppie lavando brinquedos

Depois de tanta brincadeira, chega a hora de fazer a higienização dos brinquedos! Aqui em casa lavo os brinquedos mensalmente. Vocês também tem o costume de lavar?

É importante fazer essa manutenção, afinal nossos peludos passam a maior parte do dia com seus brinquedos, mordem, carregam de um lado ao outro e até dormem com eles. A Alice já nos contou sobre o rodízio de brinquedos e podemos usar esse período para fazer a higienização.

Então vamos à limpeza! Como Fazemos?

As tutoras da turminha do Shih Tzu Café são adeptas a máquina de lavar roupas para a limpeza das pelúcias. Aqui eu lavo duas vezes, sendo a primeira com desinfetante ou butox e a segunda apenas com detergente neutro. Lavo duas vezes para que saiam todos os resíduos de desinfetante ou butox, pois as pelúcias ficam em contato direto com a boca do seu pet. Depois deixo secando ao ar livre, mas, caso você tenha uma secadora em casa, pode usar também!

Já os brinquedos de borracha ou plástico lavamos em água corrente com detergente neutro. Depois é só deixar secar naturalmente.

Aliás, é importante deixar os brinquedos secarem muito bem para não criar fungos e bactérias!

Manter os brinquedos do seu pet sempre higienizados faz bem à saúde dele. Evita o acúmulo de ácaros, germes, bactérias e fungos, que podem causar desde pequenas alergias até doenças estomacais.

Então vamos à faxina!

Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS)

Seu cãozinho fica muito tempo sozinho em casa? Como ele costuma se comportar? Faz as necessidades fora do lugar e destrói objetos e móveis quando você sai de casa? Lambe ou morde as patinhas em excesso? Chora e/ou late sem parar? Ou até mesmo tem comportamento totalmente apático, passa o dia deprimido e a ponto de não fazer suas necessidades e ou se alimentar, só porque está sozinho? Melissa Então, atenção, ele pode estar com o que chamamos de Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS). Isso ocorre quando o cãozinho não sabe ficar sozinho e/ou longe de determinados membros da família. É um comportamento considerado natural e normal até certo ponto. Como tudo em excesso não é bom, logo, esses comportamentos de forma excessiva precisam de atenção redobrada.

Por natureza os cães sentem constante necessidade de estar em grupo, seus instintos dizem isso. Portanto a ansiedade de separação exagerada acaba se tornando um sério problema de comportamento. Normalmente, boa parcela dos cães de companhia passam um tempo sozinhos em casa, até por conta da rotina dos seus donos. Dessa forma, alguns desenvolvem esses comportamentos irregulares que servem para atrair os outros membros da matilha, como os latidos e uivos, ou destroindo os objetos para extravasarem suas ansiedades.

Mas como isso acontece?

Simples: Pode acontecer por uma mudança na rotina, após uma mudança de casa, um novo membro na famíla, ou pelas atitudes erradas dos donos, no dia a dia do seu cão – às vezes, esse é o fator principal.

Duas atitudes bem agravantes são: fazer festa e gerar muita importância ao chegar em casa e a outra é mimar demais o pet:  mantê-lo no colo por muito tempo, trata-lo feito criança e fazer todas as suas vontades. São atitudes super erradas e devem ser evitadas no dia a dia.

Separei algumas dicas para NÃO estimular os agravantes dessa síndrome:

– Mantenha sua chegada mais discreta: nada de dramatizar e evite retribuir a festa! Não é fácil, mas vale a pena – o cão será diretamente beneficiado -. Espere até que ele esteja calmo para dar atenção.

– Nas saídas: dê o brinquedo favorito dele, mas retire assim que chegar.

– O cão também precisa aprender a ser mais independente, nada de ficar mimando demais o seu pet; Você pode dar carinho e atenção, mas sem exageros.

– Reforce os passeios antes das saídas. Assim seu cão já começará o dia gastando energia.

– Outra dica que eu gosto bastante é o enriquecimento ambiental, ele serve para todos cães, que sofram ou não da SAS. Ele proporciona estímulos físicos e mentais, afim de manter seu cãozinho em atividade. Assim o ele não se sentirá tão solitário e nem sobrará tempo para fazer as artes.

Lembre-se que os cães são bem sensíveis às nossas energias, portanto nada de sentimentos de “culpa” ao sair e nem de “pena” ao voltar. Esteja sempre relaxado e faça tudo da maneira mais natural possível. Logo ele entenderá que não é tão dramático ficar um tempo sozinho. Para um diagnóstico mais detalhado da Síndrome, aconselho buscar  auxílio de um veterinário. Dependendo do caso, será preciso avaliar uma série de causas para dar um tratamento mais eficaz.

Para saber mais sobre cães, fique de olho no blog e em nosso Facebook!

Pet ball

A pet ball é um daqueles brinquedos sinônimo de sucesso: ao unir atividade física e recompensa, agrada proprietários e seus peludos. É fabricada pela Pet Games, uma empresa brasileira focada no desenvolvimento de produtos visando o enriquecimento ambiental do seu amiguinho de quatro patas.

No mercado você encontrará três modelos disponíveis do brinquedo: mini (com 8 cm de diâmetro), pequeno (com 12 cm de diâmetro) e grande (com 18 cm de diâmetro). Além do tamanho (que implica diretamente na quantidade de ração que pode ser colocada dentro da pet ball), de um modelo para outro há variação na quantidade de aberturas disponíveis, o que resulta em maior ou menor facilidade para o peludo receber sua recompensa. O material é um polipropileno atóxico e há a aplicação de um aditivo com propriedade antimicrobiana para proteger a saúde do animal.

mini pet ball

A Dina Nina possui o tamanho mini, indicado para cães com peso de até 5 kg – e também para gatos. A dela é bem brasileirinha e comporta 90 g de ração (embora não seja necessário usar toda essa capacidade, já que as refeições da Dina são bem menores).

Compramos a pet ball numa pet shop próxima de casa e fez a alegria da pequena desde o primeiro uso. Para colocar ração, basta separar as duas metades, que são unidas por meio de rosca. Você pode escolher também se quer a abertura maior ou menor, bastando abrir ou fechar a portinha para regular a saída da ração. Depois é só colocar no chão e deixar seu amiguinho se divertir!

Como há apenas uma abertura, é necessário que ela fique virada para baixo para os grãos de ração caírem. E, à medida que o cachorro se aproxima da bolinha e tenta pegá-la, ela tende a sair rolando, simulando uma “caçada”. Assim, seu amiguinho se diverte e gasta energia enquanto se alimenta. Além disso, como a ração é liberada aos poucos, o cão passa a comer mais devagar quando usa a pet ball.

Aqui em casa, o brinquedo agradou em cheio a gulosinha da família. Porém, se o seu animal não se interessa muito por petiscos e acha um martírio a hora das refeições, pode ser que a bolinha fique abandonada pelos cantos.

dina nina e pet ball

Enriquecimento ambiental

Todo mundo sabe que os cachorros precisam gastar energia. Deixar o bichinho sozinho o dia inteiro e esperar que ele se vire enquanto você está fora é a receita pra ter um cão estressado, entediado e disposto a fazer todo o tipo de arte, como roer os móveis, rasgar o sofá, desenrolar o papel higiênico e tantos outros hábitos nada agradáveis.

20140318-181539.jpg

Assim, enquanto estiver fora, que tal usar técnicas de enriquecimento ambiental? Garanto que o peludo ficará muito mais feliz e equilibrado, terá uma energia mais calma e a convivência familiar se tornará cada vez mais gostosa.

O enriquecimento ambiental consiste em simular situações que proporcionem estímulos físicos e mentais semelhantes aqueles que o cão encontraria caso ainda vivesse na natureza. Calma! Isso não significa que você deverá trazer a floresta para dentro de casa! Você deve apenas deixar o local onde seu bichinho vive menos óbvio, de modo que ele enfrente algumas surpresas diárias enquanto come, brinca e aguarda sua volta do trabalho.

Que animal não adora brinquedos? Varie os brinquedos disponíveis – cães gostam de novidades! Use cordas para amarrar bolinhas/pneuzinhos/gravetos no alto, de modo que fiquem pendurados e balancem quando o cão for puxar. Use brinquedos de “busca”, ou seja, brinquedos escondidos dentro de outros brinquedos, que o cão precise retirar se quiser usar.

image_1

E na hora da alimentação? Oferecer a ração em potinhos é simples e cômodo para o dono, porém não estimula em nada o animal. Já pensou em esconder os grãos de ração pela casa, e deixar que o peludo saia à “caça” quando estiver com fome? Isso sim é estimulante e divertido! Convém variar os esconderijos, começando de forma bastante simples (ex.: embaixo de uma almofada) e aumentando a complexidade à medida que o cão evolui (ex.: no interior de um brinquedo).

Se você não tem tempo ou disposição para esconder os petiscos todos os dias antes de ir pro trabalho, pode usar brinquedos/comedouros desenvolvidos especialmente para isso, como kong wobbler, pet ball e outros. Com eles o cão precisa vencer um desafio para receber a recompensa. Até mesmo uma garrafa pet serve para esse propósito! Faça furos no corpo da garrafa (deixe sem nenhuma ponta antes de dar para o animal), coloque a ração dentro e deixe seu peludo se divertir enquanto tira os grãos do seu interior!

Se quiser estimular ainda mais o seu bichinho, você pode usar elementos como tocas, caixas e obstáculos espalhados pelo caminho. Ele vai adorar subir e descer rampas, se abrigar dentro das tocas, rasgar as caixas… Sim, é importante deixar o pet ser pet! Como resultado, você terá um animal mais calmo, inteligente e feliz.

image (13)

Curta nossa Fanpage

Veja como evitar que cães destruam o que não deve!

Slide1

Os cães são carinhosos, brincalhões, divertidos e uma ótima companhia. E quando filhotes são uma fofura! No entanto, se não tomarmos certos cuidados, eles podem causar um enorme estrago em móveis, estofados e eletrodomésticos. Veja algumas dicas para evitar que isso aconteça.

Um dos problemas mais comuns é que eles costumam morder tudo que vêem pela frente, principalmente o que não pode: móveis, sapatos, fios, roupas, pé… Instintivamente eles são curiosos e, ao estarem no início da formação dentária, possivelmente sentirão mais necessidade de mordiscar as “coisas” que encontrarem pela frente.

Para evitar sapatos e chinelos perdidos (rsrs), recomendo que compre muitos brinquedos de morder. No mercado pet existe uma infinidade de produtos anatômicos que são ideais para esta idade. Compre cordas, brinquedos de plásticos, os mais diversos, a fim de direcionar a atenção do filhotinho para estes brinquedos. É preciso persistência e paciência, mesmo que o peludo prefira o que não deve, você precisará insistir nos brinquedos. Mantenha o peludo sempre recheado de brinquedos por perto, para que não pense em outras alternativas.

Algumas dicas ajudam muito a evitar danos e que seu animalzinho se machuque:

  • Mantenha o local  do seu dog sempre organizado e sem itens que possam machucá-lo;

  • Esconda os fios para evitar choques;

  • Evite deixar cestos de lixos com fácil acesso;

  • Muito cuidado com objetos pequenos espalhados pelo ambiente;

  • Evite facilitar o “erro” do seu peludo (deixar porta do banheiro aberta, por exemplo);

  • Esteja sempre atento;

  • Elabore atividades para o seu filhote, mesmo quando ele estiver sozinho;

  • Compre brinquedos novos ao passar do tempo, pois os cães são curiosos e adoram uma novidade.

Some essas atividades a carinho e atenção e logo logo seu pequeno irá entender ou associar o que pode e o que não pode fazer. A educação desses peludos começa desde cedo e nos pequenos detalhes. Esteja atento e seja paciente e firme!

Cadê o esquilo?

IMG_0302

É sabido por todo – ou quase todo – dono de shih tzu que nossos amiguinhos não são exatamente bem classificados na famosa lista de inteligência canina elaborada por Stanley Coren. Mesmo que esse ranking leve em consideração a inteligência para o trabalho e a aceitação de comandos e obediência, não a inteligência instintiva, saber que a raça do seu filhote está em uma das últimas posições não é tarefa fácil para ninguém!

Foi pensando nisso que parti em busca de tudo que pudesse desafiar a inteligência da Dina Nina. Encontrei os mais diversos tipos de brinquedos, adquiri vários e hoje vou falar do Hide-a-squirrel da Kyjen.

A kyjen é uma das minhas marcas favoritas de brinquedos, as pelúcias são de ótima qualidade e não contêm partes perigosas que podem se soltar e machucar o seu cão. Os detalhes como olhos e focinho dos bichinhos são todos bordados, por exemplo. O hide-a-squirrel consiste num tronco de pelúcia com três furos e três esquilos avulsos. O objetivo do jogo é colocar os esquilos no interior do tronco e deixar o peludo dar um jeito de tirá-los de lá, numa espécie de “caçada”. O fabricante sugere que você apresente os esquilos ao seu cachorro antes de colocá-los na árvore, e, caso necessário, coloque uns petiscos no interior do tronco para deixar tudo mais interessante nas primeiras vezes.

Com a Dina Nina nada disso foi necessário. Ela é louca por pelúcias, partiu imediatamente pra cima do conjunto e a brincadeira durou bastante tempo. Quando percebeu que os esquilos possuem squeakers e finalmente conseguiu fazê-los apitar, a alegria foi ainda maior!

fig2

Além de brincar da forma convencional, a Dina também gosta de carregar tanto os esquilos como o tronco pela casa, e se diverte bastante quando entramos na onda e os jogamos para ela buscar. Para isso foi essencial que comprássemos o tamanho Junior, pois assim nossa pequena consegue segurar e transportar o conjunto com facilidade.

Esse brinquedo faz tanto sucesso aqui em casa que acabamos adquirindo outros do mesmo gênero para os demais cães da família: a Tulipa possui dois hide-a-squirrel, sendo um Grande (idêntico ao Junior porém em tamanho maior) e o outro Ginormous (que possui um tronco mais comprido, com seis furos e seis esquilos) e a Vivi possui um ornitorrinco que vem com um furo na barriga e três ovos (também com squeakers) para serem retirados dali. Capuccino, o maroto da turminha Shih Tzu Café, também é dono de um hide-a-squirrel Junior, do qual gosta bastante!

tino

A durabilidade do brinquedo vai depender do seu cachorro: a Dina Nina ganhou o dela no Natal do ano passado, e nesses quase 12 meses de uso todas as partes continuam como novas (estão apenas mais sujas, claro, mas continuam inteiras). Tulipa e Vivi (duas S.R.D. que moram na casa da minha mãe e são bem maiores que a Dina), que têm experiência em rasgar os brinquedos para remover o enchimento e espalhá-lo pela casa, conseguiram fazer o mesmo com os esquilos em menos de 1 mês de uso! Para esses cães mais destruidores, a Kyjen vende separadamente só os esquilos para repor. Já os troncos e o ornitorrinco (juntamente com seus ovos) continuam intactos!

Em suma, é um brinquedo divertido, bonitinho e faz muito sucesso com os cães que conheço! Com a proximidade do Natal, é uma excelente sugestão de presente pro seu amiguinho de quatro patas. Ele vai adorar!

fig3