Como cuidar do meu cãozinho em apartamento?

topo

Muitas pessoas ainda ficam na dúvida sobre ter ou não um cãozinho por morar em apartamento, principalmente o de menor metragem. É claro que uma casa ou um ambiente mais espaçoso é confortável para humanos e animais de estimação, mas o fato de morar em apartamento ou ambientes menores não é um impedimento para ter um pet. Só é preciso ter bom senso e escolher os cães de porte compatível e que tenham um perfil mais calmo e coerente com seu espaço e seu condomínio rs.

Algumas raças são ideais para esses espaços e se adaptam super bem. A raça Shih tzu é uma delas, assim como: Bulldog Francês,  Spitz Alemão, Maltes, Poodle, Yorkshire, Lhasa Apso, Fox Terrier, Schnauzer, Pinscher, Dachshund e Pug. Mas vale ressaltar que cada cão tem um temperamento, mesmo que algumas raças sejam mais calmas que outras, por isso é muito importante pesquisar bem antes de escolher. Os cães da raça Shih Tzu, em sua maioria, são tranquilos e quase não latem, são mais preguiçosos que um gato e dormem o dia todo se deixar rsrs, não possuem muita necessidade de exercícios físicos, mas precisam de atividades ao ar livre, e vivem bem em ambientes pequenos.

Veja algumas dicas de como cuidar do seu pet em ambientes pequenos. É imprescindível prezar pelo bem-estar físico e psicológico do seu cãozinho:

  • Espaço interno: pense no espaço mais adequado a ele. Não se limite a área de serviço, exceto em fase inicial de confinamento e/ou aprendizado das necessidades. Muitas pessoas acabam por deixar o cãozinho sempre na área de serviço e isso não é legal. O ideal é estipular o máximo de circulação possível para o seu pet, levando em consideração a segurança dele também. Mantenha esse espaço seguro e sem muitos fios ou objetos que possam causar algum acidente. Aqui em nosso apartamento a pequena Melissa fica com quase todo espaço livre para ela, pois, como passamos o dia fora, optamos por deixá-la mais a vontade.
  • Varanda ou sacada: quem mora em apartamento e possui esse espaço extra é muito bom, mas é preciso torná-lo seguro. Aqui em casa providenciamos as telas protetoras, assim a Mel fica a vontade em mais um espaço. Aproveitei que minha sacada tem um espaço legal e inclui o banheiro dela nesse ambiente, é mais fácil de limpar!

base

  • Passeios regulares: o passeio é um item que faz bem para ambas as partes rsrs. Sair regularmente com seu cãozinho faz bem para o corpo e pra mente, todo mundo fica feliz. O passeio é uma das opções para o seu cãozinho gastar energia e passar o tédio. Para quem mora em apartamento, o passeio no Play ou no estacionamento também vale, principalmente nos dias chuvosos ou quando a cadelinha está no cio.
  • Brinquedos: os brinquedinhos fazem toda a diferença: ter brinquedos educativos e de entretenimento são excelentes para passar o tempo e garantir a diversão do seu cão. O enriquecimento ambiental também é uma ótima dica para o seu Pet.

20150311_222501

  • Limpeza: muitas pessoas questionam se o cão deixa um cheiro desagradável no apartamento. Todo cachorro tem cheiro, uns mais fortes que outros. Mas atualmente existem mil maneiras de você deixar a sua casa perfumada e sem nenhum cheiro desagradável por conta do animal (muitas vezes, nem é culpa dele, tadinho rs). Mantenha a casa limpa regularmente, higienize o cãozinho com banho seco ou lencinho quando já tiver uns 5 dias do  último banho, higienize o sanitário do seu pet, e como produto de limpeza use o Herbalvet.

 

Se tiver mais dúvidas, mande pra gente! Iremos adorar ajudar!

Conheça nossa Fanpage!

 

Cuidando dos olhinhos do peludo

Esses dias a Dina Nina nos deu um susto. O olho esquerdo começou a ficar mais fechadinho, depois ficou avermelhado e no dia seguinte mal se abria. Pronto! Agendei uma consulta na veterinária oftalmologista e lá fomos nós tentar descobrir e resolver o mal estar da pequena.

O tratamento foi longo, tivemos que dar medicação para dor e aplicar vários colírios (em intervalos meio malucos: um deles deveria ser aplicado 8 vezes ao dia! O outro, a cada 8 horas e o terceiro a cada 6 horas). Em dois dias a peludinha já estava a mesma serelepe de antes, o que tranquilizou toda a família!

cuidado olho Dina Nina

A veterinária nos explicou alguns cuidados que devemos ter com os olhinhos dos peludos:

  • Não fazer chucas muito apertadas, dessas que até impedem o animal de piscar (ela inclusive elogiou a dina por estar usando uma chuca bem frouxinha, apenas para manter os pelos longe dos olhos);
  • Passeios no parque, secador/soprador, vento e outros fatores ressecam os olhos. É importante conversar com o veterinário do seu amiguinho e ver o que pode ser feito para minimizar/prevenir os danos. No caso da Dina, começamos a usar um gel específico para o problema antes e depois dos passeios e banhos.
  • Mantenha os olhos do seu cão sempre limpos. Há substâncias próprias para isso no mercado pet, mas você também pode utilizar soro fisiológico ou mesmo água. Atenção especial para remelas secas/endurecidas, que também devem ser removidas, pois são fontes de entrada de bactérias e outros “seres malignos”.
  • Cães que possuem cílios ectópicos (cílios que nascem no lugar ou na direção errada, ferindo os olhos do animal) devem ser examinados mais frequentemente e ter os vilões retirados periodicamente. A Dina possui apenas 5 cílios nessa posição irregular e a veterinária sugeriu remoção mensal ou bimestral, conforme a necessidade, para evitar que ocorram lesões na córnea. Em casos mais graves, recomenda-se um procedimento cirúrgico.
  • Se a região branca dos olhos ficar avermelhada ou se o seu peludinho estiver esfregando constantemente a cabeça no chão, leve-o ao veterinário. Qualquer surpresa é mais facilmente tratada e curada se descoberta no início!
  • Durante os banhos, cuidado com o xampu! Prefira modelos que não causem ardor nos olhos pelo menos para lavar o rostinho, afinal ninguém quer ver seu amiguinho com dor.

São cuidados simples e fáceis de seguir. Dicas anotadas?

A família vai aumentar… E agora, au-au?

Sempre vejo pelas redes sociais dúvidas como “O que eu farei com meu cãozinho agora que engravidei?”, “Eu tentei, mas cachorro e recém-nascido não foram feitos pra conviver juntos!”… Que raiva me dá!

Da turminha do Shih Tzu Café, sempre fui a que levantou a bandeira pela maternidade (e a louca que quer muitos filhos, rs) e, claro, criar minhas cachorras junto com os futuros filhos sempre esteve nos planos. Um animalzinho não é descartável e, não é porque chegou uma criança na família, que deverá ser deixado de lado.

Saber introduzir a criança ao dia a dia de uma casa é difícil, não nasce ali apenas uma criança, nasce junto um instinto materno, paterno, novas descobertas pra todos ao redor e, sim, nascerá também uma amizade enorme entre o peludinho e o bebê, caso você permita.

“Mas solta muito pelo!” , “mas ele late a todo instante e acorda o bebê!”, “ele morde tudo, inclusive mamadeiras e pipos!”… E por aí vai. Se quisermos desculpas pra ‘nos livrarmos’ do peludinho, arranjaremos mil. Mas DUVIDO que tenha havido alguém que não se debulhou em lágrimas na cena do enterro do Marley (Marley e Eu, filme) quando as crianças fazem suas últimas homenagens… E o mais velho que, ao ser indagado se gostaria de falar algumas palavras, responde: “não, não tenho nada pra dizer, ele já sabe tudo…”? Sim, snif snif snif e já se foi uma caixa de lenços…

Fato é que o primeiro grande amigo e parceiro de seu filho tem tudo pra ser seu peludinho e descartá-lo porque agora sua vida mudou é… Bem… Vejamos… Uma atitude impensada (pra não dizer desumana e repugnante, rs).

Ok. Mas daí vem uma leitora e já solta um: “ué, mas nem filho você tem. Muito fácil pra quem não convive querer falar o que não sabe”. Concordo! Mas posso me sentir apta pra falar sobre o assunto por ter dois pequeninos que amo como se fossem meus e que praticamente não saíram de casa desde que nasceram.

Realmente, os primeiros dias de um recém-nascido são estressantes: é tudo novo, sobretudo se for o primeiro filho. A nova mãe é insegura com tudo, quer proteger sua cria do mundo todo, e inclui nisso os milhões de pelos espalhados pela casa. O bebê não tem hora pra nada e, comsequentemente, a família toda não terá também. A mãe facilmente se esgota e ainda devemos somar à esse cenário as muitas visitas que vem conhecer o bebê – e sempre saberão como criar seu filho melhor que você e criticarão em tudo o fato de você ‘continuar’ com esse cachorro dentro de casa. Ahn?

Veja alguns cuidados devem ser tomados tanto para o convívio longo e sadio entre bebê e peludinho, bem como para manter a higiene da casa:

O comportamento que a grávida/recém-mamãe adotará é extremamente importante. Durante a gestação, manter o cachorro envolvido nas evoluções da gravidez e montagem do cantinho do bebê é ideal. Decidir desde então se o cachorro entrará no quarto do bebê é primordial, pois você deverá adotar o mesmo comportamento desde a gestação para já educar seu amiguinho.

Outra coisa bem importante é manter a rotina do animalzinho o mais parecida com o que era antes da gestação e tentar já adaptá-lo ao que virá. Ex.: tentar ver se os passeios com o peludo prejudicarão os horários de um bebê na sua rotina e já alterá-los. Se faz as necessidades em casa, se assegure que o local escolhido continuará o mesmo após o bebê chegar. Verifique se onde faz as refeições é ideal e se os bebedouros estão em locais de fácil acesso ao peludinho e seguro contra arte de criança levada.

Mas e o primeiro contato? Ah, esse momento deve ter a maior atenção dos papais. Lembre-se: o seu cachorro ama tudo o que você ama, mas sente ciúmes e fica triste. Se, por acaso, ele pressentir que foi deixado de lado, ficará triste e desanimado. Em casa, nunca tive problemas com esse ponto, primeiro porque não eram meus filhos, e segundo porque, mesmo com as crianças em casa, nunca deixei transparecer que minhas cachorras perderam espaço.

O ideal é trazer da maternidade paninhos com cheirinho do bebê e deixá-los perto de brinquedos, vasilha de ração e caminha, para que o cachorro associe aquele cheirinho a coisas gostosas.

Depois trazer a criança pra casa e então, apresentá-la ao peludo. Ora, perder aquele tempinho é muito importante e, mais ainda, respeitar o tempo de cada um. Alguns cachorros estranham e tem medo. Outros, mais curiosos, já querem pular em cima e cheirar tudo. Nessa etapa, o cuidado deve ser com as unhas do animal na pele hiper sensível do recém-nascido e das lambidinhas que eles gostam de dar em sinal de ‘podemos ser amigos?’

Pode ser estressante a agitação do cachorro nesses primeiros dias, algumas vezes incentivados pelas milhares de visitas ou mesmo pelo próprio bebê que ainda não estipulou uma rotina e acaba acordando a todo instante. Interessante então dedicar algum tempinho ao amiguinho, levando-o para passear e recompensando atitudes calmas com petiscos.

Outra dica é envolver os dois nas atividades que puderem fazer juntos, ex: banho de sol com o bebê + passeio com o cachorro. Lanchinho da tarde com frutinha pro bebê e pro cachorro.

Com os dias, a segurança aumenta e essa nova família se ajeita respeitando o limite de cada um. O convívio entre uma criança e um animal é benéfico pra todos e deve ser incentivado. Vários são os estudos que comprovam os benefícios que um animalzinho de estimação trouxe à educação de crianças.

E então, você tem alguma experiência com o assunto? Conta pra gente e não perde nossa sequência, ainda traremos muito mais sobre crianças x cachorros.

Deixar subir ou não na cama?

cama 1

Hoje o assunto divide muitas opiniões. Aqui eles tem quatro caminhas espalhadas pelo quarto, porém minha preferência é que sempre durmam comigo. Ao contrário do que muita gente pensa, o shih tzu eles não solta tanto pelo, o que pra mim seria o maior problema.

Quando tinha só o Mylow, meu sonho era que ele ficasse horas comigo na cama! Mas ele nunca queria ficar, era eu colocar e em 15 min no máximo ele pedia pra descer. Via várias pessoas reclamando do contrário e não conseguia entender. Quando peguei a Jolie nunca ensinei ou induzi, ela por si só sempre gostou de ficar na cama, e eu como sempre deixei, ela cada vez mais foi ficando. Hoje ela dorme comigo todos os dias.

Hoje vamos falar algumas vantagens e desvantagens de deixar seu peludo subir ou dormir na cama.

Vamos começar com as vantagens, porque vantagem é sempre muito mais legal!

Cães são fofos, quentinhos e aconchegantes, e aqui a Jolie esquenta meu pé todos os dias para dormir! É muito gostoso ficar com um cachorro na cama, é chamego o tempo todo, tem muita troca de carinho antes de dormir e na hora de acordar.  E com certeza o dia começa muito melhor!

Normalmente, os cães gostam de ficar na cama. Há aqueles que preferem ficar um pouco e logo descer, que é o caso do Mylow, e tem aqueles que sobem e vão até o outro dia com você, como minha pequena Jolie.

Eles tem a vida tão curta, que não consigo e nem nunca passou pela minha cabeça proibir o acesso deles.

Outra questão que não posso deixar de comentar é com isso diminuí minha ansiedade, quando chega a hora de dormir e estou preocupada ou nervosa com qualquer coisa, é IMPOSSÍVEL pensar nisso quando se está ganhando milhões de lambidas por minuto, você esquece seus problemas e só curte aquele momento. Isso me deixa muito relaxada, o que faz com que o meu sono fique muito mais tranquilo.

Agora vamos falar sobre algumas desvantagens:

Se seu peludo é muito agitado durante a noite, ou ronca alto, ou fica subindo e descendo durante a noite toda, isso realmente irá atrapalhar, fazendo com que você acorde muito cansado (a). Ou também pode ser você que se mexe muito e com isso pode sem querer provocar um acidente, como jogar seu cãozinho pra fora da cama.

Porém acho que a grande cisma da maioria que não deixa os peludos subirem é a questão da higiene. Por mais limpo que seu cãozinho seja, ele sempre será um cachorro, e sua patinhas vão ao chão, à rua, à grama, e, por mais que você limpe, elas nunca estão 100% limpas. Fora que ele deita em vários lugares se esfrega em vários lugares. Enfim, se você for um maníaco por limpeza, realmente não vai ser uma boa ideia. Aqui Mylow vai à rua todos os dias, então toda vez que volto passo um paninho com água ou lencinho umedecido próprio pra cachorro ou um bem suave de bebê.

E aí?! Você deixa ou não os peludos ficarem na cama?

Aumentando a família

anuncio gravidez1

O teste deu positivo, a ultrassom confirmou, é oficial: a família vai aumentar! Na hora de contar a novidade, que tal incluir o peludinho nas fotos de anúncio de gravidez? Aposto que será um sucesso!

As fotos podem incluir todos os membros da família ou dar um destaque especial pro “primogênito peludo”. Com plaquinhas e frases fofas/engraçadas ficam um charme!
anuncio gravidez pets
 
anuncio gravidez plaquinhas
Se seu cachorrinho for muuuuuito peralta e não conseguir ficar paradinho para ser fotografado, você pode usar algum acessório dele, como coleira, caminha, brinquedo…
anuncio gravidez objetos

Já curtiu nossa fanpage e já está nos seguindo no Instagram?