Guia normal ou retrátil? 

  

Já falamos sobre tipos de coleiras, mas e quanto às guias? Quais são as opções disponíveis?

A Dina Nina usa dois modelos diferentes: uma guia normal (de tecido) e uma guia retrátil. O modelo convencional é uma faixa do mesmo material da peitoral, podendo ser nylon, couro, metal, etc. Há exemplares estampados ou lisos, alguns contém apliques de borboletas, flores, ossinhos ou outras fofuras. Aliás, quando falamos em guia, é provavelmente essa a imagem que vêm à cabeça das pessoas. O comprimento pode variar, sendo as mais curtas melhores para você ensinar seu cãozinho a passear, pois fica mais fácil mantê-lo sob controle. Versões mais longas, por outro lado, podem deixar o passeio mais leve e agradável para o cão. Atenção ao material e à espessura da guia, pois as muito finas podem machucar as mãos, além de terem durabilidade inferior.

 

Caso seu animalzinho seja daqueles que puxam durante o passeio, há modelos que possuem uma espécie de “mola” entre o trecho que se prende ao cão e o que fica na mão do dono, suavizando o puxão por dissipar a energia. Nunca utilizei nenhuma guia assim, pois com a minha pequena não é necessário, mas acredito que valha a pena para aqueles cães fortinhos.

A guia retrátil, por sua vez, dá mais liberdade ao cão, pois com ela é possível se afastar mais do dono. Com esse tipo de guia, o comprimento vai aumentando com a distância, e diminui automaticamente quanto o cão se aproxima. É importante comprar um modelo que suporte o peso do seu amiguinho, porque num momento de empolgação ele pode se esquecer de que está preso e dar “trancos” na guia. É imprescindível, ainda, optar por um modelo seguro e de um fabricante confiável, pois já ouvi histórias de guias retráteis que se desmancharam na mão do dono! Olha o perigo!

DN guia retratil

Com a Dina, normalmente usamos a guia convencional nos passeios curtos, como voltas no quarteirão, pois é mais fácil mantê-la afastada da rua e protegida. Já nos parques, optamos por usar a guia retrátil e deixar a pequena se esbaldar! Ela adora! Faz amizade com outros cães, explora as árvores/lagos/pedras, tenta correr atrás dos pássaros…

Enfim, há uma ocasião para cada guia. Acho válido possuir os dois modelos e usá-los conforme a necessidade, além de sempre haver uma segunda opção caso uma das guias estrague ou desapareça. E seu cãozinho? Que tipo de guia ele usa?

Anúncios

Pseudociese – respire fundo, está tudo bem!

 
Minha cachorrinha engordou, começou a montar um ninho, às vezes fica agressiva e chegou a ter produção de leite nas glândulas mamárias. Minha cadela está grávida? Mas ela não cruzou, como isso?

Mais conhecida como gravidez psicológica, a pseudociese não é tão perigosa assim. Trata-se de um disfunção hormonal da progesterona (hormônio do sexo feminino) que faz com que a cadela acredite que esteja grávida mesmo não estando. Ocorre quando a cadela não é castrada, e quando ocorre uma vez, ela pode apresentar o problema novamente. Acontece pelo menos uma vez com 50% das cadelas que não são castradas, geralmente entre dois a quatro meses depois do último cio.

Comumente a cadela começa a juntar objetos, brinquedos ou sapatos e a cuidar como se fossem sua cria. Algumas fêmeas ficam bem irritadas se você tenta tirar dela, porque afinal pra ela está apenas defendendo sua cria. É indicado que os donos não tentem tirar os filhotes imaginários, pois isso pode deixar a cadela bem ansiosa e agressiva.

Preciso procurar um veterinário?

Sim. Embora na maioria das vezes as fêmeas retomem seu comportamento normal após cerca de duas semanas de “gravidez”, há casos em que a ajuda medicamentosa ou até cirúrgica como a castração pode ser indicada – o tratamento varia de acordo com os sintomas da cada fêmea. Além disso, o acúmulo de leite nas mamas pode gerar uma infecção conhecida como mastite ou empedramento do leite, causando dores, nódulos e tumores na área, além de muita irritação, e deve ser tratada rapidamente por um profissional. Infelizmente a falta de tratamento pode acarretar uma série de problemas bastante complicados, incluindo tumores, infertilidades e o câncer.

Sua melhor forma de prevenção é a castração, já que evita a produção dos hormônios ligados à gestação.

Por que acontece?

É uma questão comportamental. A origem desta disfunção hormonal vem da época em que os cachorros eram selvagens. Antigamente as fêmeas que ocupavam uma posição inferior na matilha tinham um aumento da produção de leite, de modo que podiam ajudar a alimentar os filhotes de uma mãezinha que tinha dado à luz recentemente.Com isso os filhotes cresciam fortes e saudáveis. Era uma questão de trabalho em grupo. Esse comportamento hoje não é mais funcional, porém foi mantido e ocorre ocasionalmente.

 
Obrigado pela visita, espero você mais vezes aqui!

Cuidado com roubos de cães durante o passeio!

DN pq flambs

Não sei na cidade de vocês, mas por aqui tem sido bem comuns – e até frequentes – os roubos de cães. Há suspeitas de que os animais roubados sejam revendidos, usados como reprodutores por criadores inescrupulosos ou que sirvam como presentes para esposas e filhos dos criminosos. Qualquer que seja o motivo, ninguém quer passar por isso com seu peludinho.

Shih tzu é o cão da moda, fato. Assim, é preciso estar ainda mais atento quando você sair com seu cãozinho, pois em muitos locais há quadrilhas especializadas nesse tipo de crime!

Então como devo agir para evitar que isso aconteça? Abaixo temos algumas dicas:

  • Evite passear sempre pelos mesmos caminhos. Se hoje você subiu a rua, amanhã desça, vire à esquerda, mude o destino.
  • Varie os horários de passeio, evitando que os criminosos decorem sua rotina e armem emboscadas.
  • Mesmo que seu cão seja extremamente treinado e disciplinado, evite andar com ele sem coleira. Ele pode ser obediente o bastante para não sair correndo atrás de um gato do outro lado da rua, mas não será capaz de fugir das mãos de um maluco, por exemplo.
  • Procure passear em horários de maior movimento de pessoas. Todos que convivem com cães costumam se entender e proteger uns aos outros, o que ajuda a inibir a ação dos marginais.
  • Se possível, procure passear em locais onde haja guardas municipais ou seguranças, como praças e parques públicos. Você se sentirá mais protegido e, caso o pior aconteça, terá a quem recorrer imediatamente.
  • Tente sair acompanhado de outras pessoas, pois um indivíduo sozinho com um cão é um alvo mais fácil do que uma dupla, por exemplo.
  • Esteja atento ao seu cachorrinho e ao movimento da rua durante o passeio, evitando mexer no celular.

DN passeio

Atenção! Não deixe de sair com seu peludinho, cães amam e precisam passear. É um momento de diversão e relaxamento para eles, quando podem sentir novos cheiros, interagir com pessoas e animais diferentes e fazer suas necessidades. Procure seguir as dicas acima e se divertir com sua bolinha de pelos, com certeza será uma atividade benéfica para ambos!

Carteirinha de Vacinação em dia!

Logo nos primeiros meses de vida das nossas bolinhas de pelo, elas passam por uma série de cuidados e um deles é a vacinação. As vacinas são muito importantes para o crescimento saudável e preventivo do seu pet. Mas esse tema ainda causa algumas dúvidas como: “E se passar da época de tomar a primeira dose?” ou “Não tenho certeza se foi vacinado?” ou “Não sei quais vacinas são mesmo importantes” e muitas outras que permeiam o universo canino e seus cuidados.

vacinação

Completar o ciclo de vacinação é fundamental e obrigatório. Na fase inicial, o ciclo conta com 3 doses da vacina múltipla e uma anti-rábica, respeitando a seguinte ordem:

  • 1ª dose: a partir dos 45 dias é a primeira dose da múltipla (V8 ou V10). Dê preferência às importadas.
  • 2ª dose: ocorre com pelo menos 21 dias após a primeira dose (intervalo mínimo para a próxima dose), isso pode ocorrer aos 66 dias. (um pouco mais de 2 meses)
  • 3ª dose: mais 21 dias após a última vacina, será aplicada a terceira dose. (V8 ou V10)
  • A última vacina é a anti-rábica, que, dependendo da idade do filhote e do veterinário, poderá ser aplicada junto a 3ª dose (V8/V10). Mas pode ser aplicada separadamente também.
  • Depois do ciclo completo é preciso renovar anualmente uma dose da vacina múltipla e a uma da anti-rábica.

As vacinas múltiplas previnem as principais doenças: Cinomose, Hepatite Infecciosa Canina, Adenovirose, Coronavirose, Parainfluenza Canina, Parvovirose, Leptospirose Canina. E a anti-rábica imuniza contra a Raiva.

Para o caso de cães (adultos ou filhotes) que você não sabe se foram vacinados, deverá ser feito todo o ciclo e respeitar o intervalo de 21 dias entre cada dose de vacina. Mas se existir histórico de vacinação, respeite a renovação anual. Muitos veterinários desconfiam se realmente foi aplicada a primeira dose da múltipla, se você não tiver certeza e desconfiar também, será melhor que inicie desde o começo todo o ciclo, pois é muito importante ter o cãozinho vacinado e prevenido. Para evitar dúvidas, faça questão da carteira de vacinação com os comprovantes de vacina colados, esse documento é muito importante. Ao lado de cada comprovante, deverá ser anotada a data de aplicação da vacina, a data da próxima dose e o veterinário responsável deverá assinar e colocar o número do seu CRMV.

Além das vacinas obrigatórias, existem as preventivas como a de Gripe, Giardia e de Leptospirose, mas só as aconselho em caso de surto ou evidência de necessidade. Alguns veterinários defendem a renovação a cada 6 meses da Vacina contra leptospirose, mas só renovei uma vez nesse intervalo, quando começou uma obra próxima ao meu prédio e estava com muito rato na rua e fiquei com medo. Mas fora essa necessidade não vejo motivos, já que a múltipla tem validade de 1 ano. Atenção: as vacinas preventivas não são contra indicadas, apenas não são obrigatórias e algumas não possuem um alto grau de eficácia comprovada.

As vacinas podem causar algumas reações e é muito comum ocorrer dias após as aplicações. Alguns sintomas são: apatia, vômito, diarreia, às vezes até febre. Pode ficar dolorido e com um calombinho no local da aplicação, para isso aconselho compressas de água fria ou quente.

Observações importantes:

– Cães com menos de 45 dias não podem ser vacinados;

– Tenha uma carteirinha sempre atualizada e uma agenda de anotações para acompanhar todo histórico do seu filhote;

– Além das vacinas, os vermífugos precisam estar em dia;

– O cão só pode ir a rua e ter contato com outros cães (desconhecidos) após 15 dias de completo todo o ciclo de vacina inicial;

– É indicado o repouso sem passeios de pelo menos 1 semana a 10 dias nas renovações das vacinas anuais;

– Seu cão com as vacinas em dia não precisa participar das campanhas oferecidas pelo governo.