Nós: problemas e como tirá-los

Quando o Capuccino precisou fazer exame de sangue para a vacina de Leishmaniose, uma das opções era colher o sangue por uma das patinhas. No entanto, como ela estava embolada, a pele ficou mais sensível, dificultando (e muito!) o trabalho. Foi mais de uma hora para conseguir tirar o sangue! Foi aí que comecei a me preocupar mais com os nós. Claro, ninguém quer ver seu cão com nós, mas eu não sabia que eles podiam ferir a pele!
 
Para preveni-los, só mesmo escovando o cão todos os dias. Já ensinei neste post como eu escovo o Tino. No entanto, nem sempre é possível impedir a formação do nó só com a escovação diária. E nessa hora, o que fazer? Está tudo perdido? É o fim? Não! Depois de muitos nós nessa vida, acabei aprendendo uma forma menos dolorosa para o cão (e, sem ele reclamando e se mexendo a cada puxão, acaba sendo muito mais simples pra gente!). Exige muita paciência, tanto sua, quanto do cão. Se ele já está irritado, não está cooperando muito, melhor dar uma pausa pra você e para ele, e evitar o stress. Mas acredite: esse nó vai sair desse corpo que não lhe pertence! Quer aprender?
 
Chegando da rua, certeza que no lugar da coleira já tem um nó ou outro!

Chegando da rua, certeza que no lugar da coleira já tem um nó ou outro!

 
Quando a escova “agarra” em algum nó, interrompo a escovação e foco no nó. Pra começar, separo a parte do pelo que está embolada da parte que não está. Em seguida, esguicho algum desembaraçador no local (costumo usar o Fluido Desembaraçador da Pet Society ou o Body Fluid, da Pet Smack) e começo a tentar desfazer o nó com as mãos. Puxo um pouco de um lado, um pouco do outro e vou abrindo o nó. Depois de um tempo fazendo isso, se o nó não estiver quase desfeito, parto para o secador. Direciono o jato frio na parte que ainda está embolada, ainda tentando abrir o nó. Depois de algum tempo, pego um pente e tento desembaraçar. Se conseguir, SUCESSO! Se ainda não estiver possível de pentear, repito todo o processo até dar certo. Em casos mais extremos, depois de fazer isso, você pode precisar colocar ele debaixo d’água! Dê um banho, utilize uma hidratação, principalmente no nó, e tente desembolar com a ajuda do creme, utilizando as mãos. Depois, repita o processo e PRONTO! Nó sumiu!
 
Prontinho!

Prontinho!

 
Lembrando que nem sempre insistir no nó é a melhor opção. Em certos casos a tosa é a opção mais indicada sim, e a decisão mais sensata a se fazer. Quando precisei acompanhar minha mãe no hospital, realmente não tinha tempo de pentear o Tino (só ia em casa uma vez por dia e só tinha tempo de colocar a comida dele e trocar de roupa, nem dormir eu dormia lá!). Resultado: nessa uma semana em que não ia em casa direito, o Tino ficou com muitos nós, muitos bem próximos à pele. Logo depois disso, melhorei muito minha forma de tirar nós, mas chega num ponto em que ninguém consegue tirar os nós na mesma velocidade em que eles se formam. Lembre-se disso: nós formam nós. Então, lembrando-me dos machucados que poderiam estar se formando na pele dele, optei por tosá-lo. Tosa ratinho nele!
 
Arsenal

Arsenal

Então já sabe: nunca deixe para amanhã o nó que você pode tirar hoje!

Anúncios

7 comentários sobre “Nós: problemas e como tirá-los

  1. Com certeza muito útil! Eu não sabia que o secador ajuda a abrir o nó! Vou tentar assim! O Alvin vive embolado e qdo a cousa fica feia corro pro pet shop! Mas eu fiquei de olho memso foi nesse laço dos minions! Onde vc comprou?! Bjos!

  2. Pingback: Você tem preguiça da hora de secar? | Shih Tzu Café

  3. Pingback: Tosar na máquina estraga o pelo? | Shih Tzu Café

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s