Os cães sentem frio?

Com o fim do outono e a proximidade do inverno, além dos indícios de um frio rigoroso (para algumas cidades), as pessoas começam a se preocupar com seus filhotes e essa mudança drástica na temperatura. Mas a resposta é bem simples: os cães sentem frio, mas não como nós, humanos, sentimos. Para entender a lógica: a temperatura do corpinho deles já é bem diferente da nossa, uma média de 38ºC ou 39,5ºC, enquanto a nossa é de 37ºC. Essa variação na temperatura interna, que reflete na sensibilidade ao frio, está diretamente ligada à raça e à pelagem de cada animal. No caso dos shih tzus, que possuem uma densa camada pelo e subpelo, o inverno é um clima mais agradável. Esse subpelo ajuda manter a temperatura do animal constante e funciona como uma proteção extra natural, o que evita a perda de calor e ameniza a sensibilidade quanto ao “sentir frio”. Diferente dos cães com pelagem curta, que tendem a sentir mais frio.

Mesmo alguns cães preferindo esse clima mais fresco, é primordial não abusar e ficar atento à friagem e aos desconfortos causados por ela. Algumas atitudes como dar banho somente de dia e se certificar de que seu cãozinho esteja realmente sequinho, além de evitar passeios logo após os banhos (mesmo que o pelo esteja 100% seco) ajudam a minimizar o impacto da friagem. O ideal é manter a caminha com um edredom bem quentinho para dar mais conforto nos dias mais frios e colocar algum isolamento térmico embaixo da casinha ou da caminha, como um tapetinho emborrachado (ou até mesmo folhas de jornal). No caso das roupinhas, elas são bem vindas se usadas sem exageros, sendo ótimas para cães de pelagem curta, para proteger da friagem. Já o uso cachecol eu não aconselharia, a gente sabe o quão agitados são nossos peludos! Assim, pode ser uma peça perigosa. Lembre-se de evitar a exposição dos pets a chuvas e ventanias e tente organizar os passeios para horários mais amenos, como o horário entre 11h e 15h.

A atenção com o frio deve ser redobrada com cães filhotes e com os idosos que, por serem imunologicamente mais debilitados, são mais sensíveis a uma série de agressões externas. Fique atento também aos riscos e aos sintomas da gripe canina, que são: tosse seca (como se ele tivesse engasgado), coriza, secreção nasal e perda de apetite. Se você notar algum dos sintomas, procure o veterinário.

A equipe Shih Tzu Café já está pronta para receber o inverno e enfrentar os dias mais frios!

inverno stcafe

Anúncios

Penteados passo a passo: Coroa de flores

Olá pessoal!

Voltei para ensinar mais um penteado no passo a passo, no outro post aprendemos a fazer uma Trança. Hoje, vamos fazer uma coroa de flores.

10409940_745840348770462_1933048744_n

Para fazer este penteado vamos precisar de:

Escova

Pente

Flores de Organza

Elásticos

 

Primeiro, penteamos o pelo como já aprendemos aqui, mas não prendemos o topete.

parte1

Em seguida, separamos uma mecha e prendemos com uma das rosinhas.

parte 2

Agora, separamos a pelagem ao meio, dividimos em duas mechas finas e prendemos com elástico.

parte 3

Repetimos o passo anterior, prendendo dessa vez com duas rosinhas.

parte 4

Dessa vez divido a pelagem em 3 partes, faço duas mechas finas e prendo com o elástico.

parte 5

Repito a operação anterior e prendo com mais duas rosinhas.

parte 6

E por ultimo fiz uma ultima mecha juntando todas as partes. Prendi com uma rosinha e finalizei com uma trança e uma rosinha de cetim.

parte 7

E o resultado foi… Uma princesinha Lillith… rsrs…

final

Espero que tenham curtido!

E por falar em curtir dá uma passada na nossa Fanpage!

 

 

Pet ball

A pet ball é um daqueles brinquedos sinônimo de sucesso: ao unir atividade física e recompensa, agrada proprietários e seus peludos. É fabricada pela Pet Games, uma empresa brasileira focada no desenvolvimento de produtos visando o enriquecimento ambiental do seu amiguinho de quatro patas.

No mercado você encontrará três modelos disponíveis do brinquedo: mini (com 8 cm de diâmetro), pequeno (com 12 cm de diâmetro) e grande (com 18 cm de diâmetro). Além do tamanho (que implica diretamente na quantidade de ração que pode ser colocada dentro da pet ball), de um modelo para outro há variação na quantidade de aberturas disponíveis, o que resulta em maior ou menor facilidade para o peludo receber sua recompensa. O material é um polipropileno atóxico e há a aplicação de um aditivo com propriedade antimicrobiana para proteger a saúde do animal.

mini pet ball

A Dina Nina possui o tamanho mini, indicado para cães com peso de até 5 kg – e também para gatos. A dela é bem brasileirinha e comporta 90 g de ração (embora não seja necessário usar toda essa capacidade, já que as refeições da Dina são bem menores).

Compramos a pet ball numa pet shop próxima de casa e fez a alegria da pequena desde o primeiro uso. Para colocar ração, basta separar as duas metades, que são unidas por meio de rosca. Você pode escolher também se quer a abertura maior ou menor, bastando abrir ou fechar a portinha para regular a saída da ração. Depois é só colocar no chão e deixar seu amiguinho se divertir!

Como há apenas uma abertura, é necessário que ela fique virada para baixo para os grãos de ração caírem. E, à medida que o cachorro se aproxima da bolinha e tenta pegá-la, ela tende a sair rolando, simulando uma “caçada”. Assim, seu amiguinho se diverte e gasta energia enquanto se alimenta. Além disso, como a ração é liberada aos poucos, o cão passa a comer mais devagar quando usa a pet ball.

Aqui em casa, o brinquedo agradou em cheio a gulosinha da família. Porém, se o seu animal não se interessa muito por petiscos e acha um martírio a hora das refeições, pode ser que a bolinha fique abandonada pelos cantos.

dina nina e pet ball

Petiscos: industrializados!

petiscos industrializados
Quando vamos ao pet shop, nos deparamos com dezenas, senão centenas, de petiscos para os nossos peludos. Dos mais variados formatos e cores, esses lanchinhos prometem os mais diversos benefícios: limpam os dentes, acalmam, divertem, melhoram a pelagem e por aí vai. Também tem pra todo tipo de cão: grande, pequeno, filhote, idoso, gravidinhas, de pelo longo, pros mais agitados, enfim, tem petisco pra caramba!
O petisco é um agradinho, um prêmio por alguma coisa de bom que seu cão tenha feito, uma forma de dizer “muito bem, amigão” com mais ênfase. Mas temos que lembrar que petiscos não devem e nem podem substituir a alimentação. E tem limite: você só pode dar até 10% do peso total  de “comida normal” (ração ou alimentação natural) que seu cão ingere por dia!
Tino aguardando o "ok" para comer o petisco

Tino aguardando o “ok” para comer o petisco

Encontramos no mercado pet muitos petiscos com corantes, aromatizantes e conservantes. São bonitinhos, cheiram a carne e são suuuuper práticos, pois não estragam tão cedo. Mas isso não é nem um pouco saudável para seu pet e pode trazer diversos problemas de saúde a longo prazo.
Corra dos muito coloridos, daqueles tão brancos como uma folha de papel e dos que possuem muitos conservantes. Essas substâncias, com o passar do tempo, podem trazer muita dor de cabeça para o seu pet. Outro item que acaba trazendo muita dor de cabeça são os ossinhos de couro: o cão pode se engasgar e até se asfixiar com ele! Além desses, temos também “petiscos comemorativos”. Panetone, ovo de páscoa e chocolate específicos para cães (não faz alocka e confunde com de humanos não! esses produtos imitam os nossos, mas são preparados sem ingredientes poribidos para cães, como chocolate e açúcar!) são alguns deles. O melhor é evitar, mas vez ou outra, pra fazer uma graça, não tem quem não dê, né? Mas veja lá; de veeeeeez em quando, só e datas especiais, viu?
Dos industrializados, procuro oferecer ao Capuccino apenas palitinhos probióticos (mas, vez ou outra, não resisto e dou um biscoitinho canino também. Aqueles em formato de ossinho, sabe?). Outra opção são petiscos mais naturebas, caseiros, mas vendidos prontos em pet shops. Já vi de cenoura e manjericão e de maçã por aqui e sempre tive vontade de levar pro meu gordinho! São mais caros? São. São menos bonitinhos? Talvez. Mas são muuuuito melhores pra nossos cães e evitam problemas de saúde futuros, provenientes de uma economia besta por agora.
Guloso!

Guloso!

Feliz dia das Mães!

Nossa pequena homenagem para todas as mamães que assim como nós, tem filhos de 4 patas, de focinho molhado e de um amor incondicional. Eles chegam em nossas vidas e entram em nossos corações de uma maneira única. Uma ligação de amor e carinho inexplicável. Seres que não precisam de absolutamente nada para nos fazerem bem! Felicidades nesse dia!

 

momst_focinho

 

momst_pata-01

 

momst_amorincondicional

Penteados passo a passo: Trança

Agora teremos uma nova categoria de passo a passo, vamos ensinar alguns penteados simples e fáceis para deixar nossos pequenos ainda mais fofos do que já são! O penteado escolhido para iniciar foi a trança. Teremos um passo a  passo para cães de pelo médio ou filhotes e outro para aqueles de pelos longos. Vamos começar?

Trança para filhotes ou pelo médio

 

Para fazer o penteado vamos utilizar:pente e elasticos

1 pente

3 elásticos de silicone para cabelo

 

Primeiro penteamos o pelo todo como já aprendemos aqui, mas não vamos prender o topete.curto

Em seguida separei a primeira mecha, fiz uma trança simples e prendi com um elástico de silicone.parte 1

Separei uma segunda mecha, que dividi em duas partes. Coloquei a primeira trança nesse meio e fiz o trançado por cima amarrando no final as duas tranças juntas.parte 2

Por último, separei outra mecha e novamente dividi em duas partes. Coloquei as outras tranças no meio e fiz o último trançado por cima, prendi com elástico e finalizei com uma rosinha de cetim.parte 3

 

Trança para pêlos longos

 

Para fazer o penteado vamos utilizar:pente e elasticos

1 pente

1 elástico de silicone para cabelo

 

Primeiro penteamos o pelo todo como já apendemos aqui, mas não vamos prender o topete.longo

Em seguida separei a primeira mecha e fiz uma trança simples. Nesse caso não precisamos amarrar.parte 4

Separei uma segunda mecha, que dividi em duas partes. Coloquei a primeira trança nesse meio e fiz o trançado por cima.parte 5

Separei outra mecha, dividi em duas partes, coloquei as outras tranças no meio e fiz o último trançado por cima.parte 6

Após terminar a última trança, juntei as três e fiz uma trança normal para finalizar. Na ponta, coloquei um laço resinado puppy.parte 7

 

Não ficou lindo? Esse é um penteado prático e fácil de fazer, mantém os pelos longe dos olhos e pode ser utilizado tanto por machos quanto por fêmeas. Que tal fazer no seu filhote?

Gostou? Então curta nossa Fanpage para mais dicas.

Qual tipo de coleira seu cão usa?

Minha mãe é louca por coleiras. Está sempre trocando as das cadelas dela e, com a chegada da Dina Nina, não poderia ser diferente: tanto a coleira de pescoço (usada apenas para colocar a medalhinha com nome e telefone) quanto a coleira peitoral (usada nos passeios) foram presentes da avó.

A primeira peitoral foi um modelo bem simples, já que a pequena ainda estava em fase de crescimento e logo não serviria mais. Dina usava para andar de carro (presa ao cinto de segurança canino) e para passear a pé, e durante 4 meses coube direitinho nela.

foto

Então veio a primeira troca! Nessa fase, eu já estava pesquisando mais sobre artigos pet e me apaixonei pela marca Puppia. Queria um modelo e uma estampa específicos (Puppia Argyle modelo B) e pretendia importar, mas qual não foi minha surpresa ao encontrar exatamente o modelo desejado numa Pet Shop da cidade? Na mesmo hora a Dina estava desfilando de coleira nova!

puppia

E assim começou uma história de amor com a Puppia. Optei por uma coleira estilo colete/camisetinha, de excelente qualidade e bastante segura. Além dos fechos de velcro e plástico, quando se coloca a guia ela trava nas duas alças metálicas, impedindo de uma vez por todas que a coleira se abra quando não for desejado pelo proprietário.

Gostei tanto dessa peitoral que, quando foi preciso trocar, a escolhida foi uma exatamente igual, porém com tamanho maior! A vantagem é que não foi preciso trocar a guia para manter o padrão.

puppia argyle

À medida que os pelos da Dina foram crescendo, percebi que seria interessante também uma coleira mais ventilada, e me lembrei do modelo A, em forma de halter, que cobre apenas a barriguinha do animal (nas costas apenas duas faixas de nylon são vistas). Novamente procurei pela mesma estampa, mas não encontrei. No lugar, foi escolhida essa versão colorida, por combinar com a guia retrátil e com o clima de verão. A Dina adorou! Claro que ela adora tudo quando está no parque, mas em nenhum momento pareceu desconfortável com a coleira nova.

Como a Dina não estava presente para experimentar, o tamanho que trouxe (small) acabou ficando um pouquinho folgado pra ela. Mas fizemos vários testes e a coleira não se soltou em nenhum momento. Imagino que se um dia a Dina chegar a ficar bem peluda, esse novo modelo não irá atrapalhar em nada nem causar nós nos pelos dela.

foto (5)

Aqui em casa, estamos todos satisfeitos com as coleiras escolhidas. Seja o modelo mais fechado, seja o mais aberto, ambos deixam a Dina confortável e muito bonita. E você? Qual coleira escolheu pro seu filhote? Conta pra gente!